Historia da ACAPEB

Um Grupo de Jovens do município denominado Jovens à procura de Cristo (JPC),da Teologia da Libertação, propôs uma ação baseada na prática da indignação lutando contra as injustiças sociais, sobretudo no processo excludente do processo juvenil numa concepção marxista que ensejou a sua práxis na organização de grupos de reforma agrária.
Em 1992, iniciou provocações para a criação de uma organização de protagonismo juvenil de luta por políticas públicas, desencadeando na institucionalização do grupo em 1998, que ficou denominado como Associação Cultural e Beneficente Antonio Pereira Barbosa – ACAPEB, dotado de uma Biblioteca Comunitária que reconheceu o nome de Herbert José de Souza, o Betinho da Cidadania.
A partir dessa organização a juventude envolvida iniciou uma série de ações que contribuíram com a construção democrática do município de Gongogi e implementou projetos nas áreas de arte-educação, cultura popular, com o objetivo de valorizar os personagens que estão no anonimato da história, resgate do folclore infantil e potencialização das manifestações culturais, a exemplo do samba-de-roda.
Dentre os diversos projetos em andamento destacam-se: Biblioteca Comunitária, Biblioteca Itinerante, A Hora do Conto, Teatro do Oprimido, Pré-Universitário Popular, Alfabetização de Jovens e Adultos, Teoria e Prática Musical, dentre Outros.
A iniciativa de de seu fundador rendeu vários prêmios a nível regional, estadual e nacional, a exemplo do reconhecimento da entidade como Ponto de Leitura, através do Prêmio Machado de Assis, com o Projeto Re-significando a história, que potencializou a Biblioteca Comunitária e seus programas, a aprovação do Projeto Eu Quero Ler em edital público do Programa Mais Cultura, que transformou a ACAPEB em Ponto de Cultura, o Prêmio Bolsa Escola Viva, que consiste na implementação do Projeto Político Pedagógico da entidade numa escola Pública do Município, em fase de conveniamento e o Projeto Cine no Ponto que foi contemplado com um cinema do Ministério da Cultura.
A instituição também é responsável por eventos culturais e educacionais regionais, destacando-se: FAZ ARTE REGIONAL, FORUM SOCIAL DA JUVENTUDE, ENCONTRO REGIONAL DE MULHERES TRABALHADORAS RURAIS.
No ano de 2009 a entidade foi contemplada em 1º lugar como a instituição com serviços relevante no Prêmio Servidor Cidadão do Estado da Bahia.
A ACAPEB ajudou na constituição de vários grupos e movimentos populares no Sul da Bahia, a exemplo de Asssentamentos de Reforma Agrária, Associação de Professores, Fóruns de Juventude e Associação de Cultura, de Moradores e Pequenos Produtores.
Em 2011 o seu fundador idealizou a UNIVERSIDADE POPULAR DO SUL DA BAHIA, através do Ponto de Cultura ACAPEB, com parceria com outros movimentos sociais envolvendo 12 municípios dos Territórios de Identidade Médio Rio das Contas, Litoral Sul e Baixo Sul, que funciona com caráter não-acadêmico e proporciona um espaço democrático de debate numa proposta libertária para reflexão do modelo de sociedade que vivemos numa perspectiva de transformá-las com novas atitudes.
ELABORADO PELA EQUIPE DIRETORA DO PONTO DE CULTURA ACAPEB E ASSESSORIA DA UNIVERSIDADE POPULAR DO SUL DA BAHIA – UNIP
SIGNIFICADO DA MARCA DO PROJETO EU QUERO LER

  • Mulher e Homem: Igualdade de Direitos
  • Colcha de Retalhos: Resgate da História de vida baseada na cultura da ancestralidade.
  • Livro aberto para cima: Leitura das letras e da vida
  • Dança no Espaço: Liberdade – senso crítico
  • Pingos de Tinta: Arte-Educação e valorização ambiental
  • Eu: Pronome na primeira pessoa do singular indicando um desejo pessoal
  • Quero: Gosto particular
  • Ler: Indica o sentido de leitura do real e do abstrato
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios